Negatividade sobre o Brasil em redes sociais do exterior sobe 82% durante a pandemia

Esse artigo faz parte da série Coronavírus.

Desde o primeiro caso de coronavírus no Brasil, no dia 26 de fevereiro, o índice de sentimento dos textos relacionados ao Brasil e publicados em redes sociais e notícias de países hispânicos sofreu queda de 51%, e a proporção de textos “negativos” no período da pandemia saltou 82% em relação ao período imediatamente anterior ao início da confirmação dos casos, saindo de 34% para 62%.

A plataforma Daoura Insights mostra que nos 3 meses anteriores ao início dos casos no país, o índice de sentimento em relação ao Brasil nas redes era de 48 pontos, considerado neutro (em uma escala que vai de 0 - Muito Negativo a 100 - Muito Positivo), e a proporção de textos negativos era de 34%.

Foi em meados de março, no entanto, que esse índice passou, pela primeira vez, à região negativa da escala, ao registrar 39.82 pontos. Desde então, o índice registrou quedas diárias, chegando a 20,56 pontos nos primeiros 14 dias de junho. Já a proporção de manifestações negativas sobre o país ao longo do período foi de 62%.

Dentre as palavras relacionadas com o Brasil neste período, estão “casos de coronavírus”, “número de infectados”, “mortes por coronavírus, “Rio de Janeiro”. De igual forma, o nome do presidente do país, Jair Bolsonaro, também relacionado com as manifestações sobre o Brasil, apresentou queda no índice de sentimento desde o início de março, caindo para 21 pontos na escala de sentimento no começo de junho.

Leia outros artigos da série Coronavírus.